majiko é uma utaite que está lançando o seu primeiro mini álbum intitulado de CLOUD 7 (download aqui), normalmente utaite são artistas que ficam famosos por cantar músicas de vocaloid, anime songs e até mesmo j-pop em seus projetos, lançando inicialmente seus covers para posteriormente vir o disco. No caso da majiko, ela já se profissionalizou e está em seu mini álbum de estreia – mesmo tendo lançado quatro álbuns de estúdio. Vamos conferir o mais novo trabalho dela:

O álbum começa com “prelude” que realmente tem essa função de ser um prelúdio ou introduzir o álbum, o instrumental tem um teor intimista e sombrio sem soar exagerado o que realmente convida o ouvinte e instiga ele até chegar em “SLINK” que começa de uma maneira sussurrada como se colocasse você para dormir e logo você é arremessado para esse clima obscuro, saindo de uma canção de ninar para uma série de ecos e repetições que parecem lhe convidar para uma dimensão que vai mesclar doçura com o gótico.

Nokuchiruka no Yoru” trás um clima mais maduro flertando com o jazz e uma guitarra que é responsável por dar uma acidez necessária para a música tornando-a mais visceral e sincera, a faixa é provavelmente a melhor do disco até aqui, uma pena que ela não está bem posicionada, soando perdida entre a anterior e posterior. O clima fica totalmente obscuro em “Sakuya Mimei“, sua produção não poupa esforços para soar psicodélica, seja por seus elementos de rádio em busca de sinal, como por seus vocais rasgados e agudos no refrão. Porém o ponto alto mesmo são os versos pausados e sussurrados criando um clima quase que torturante, como se lhe provocasse para depois chegar nos momentos mais intensos propriamente ditos. A balada do disco fica por conta de “shinigami” que soa intimista de início e logo ela vai crescendo até chegar em um refrão rasgado e intenso. Seus versos tem uma formatação diferente e instigante o que torna a canção mais atraente ao ouvinte. O encerramento do disco fica por conta de “Lucifer” que trás um clima mais acústico e ao mesmo tempo nostálgico, lembrando um rock mais classudo e que estava mais em voga nos anos 90, a faixa é realmente intensa e sabe ponderar os momentos sem soar clichê.

cloud7-2.png

CLOUD 7 é consegue se manter entre o intimista, inovador e sombrio. O disco apresenta uma variedade de canções interessantes surpreendendo por seus elementos dentro de cada produção que tira a utaite de uma zona de conforto, enriquecendo o projeto a cada ponto que é apresentado. Sua maior falha é não achar um local mais agradável para “Nokuchiruka no Yoru” que poderia estar abrindo o disco ou logo após a faixa “shinigami“, deixando sua permanência no projeto bem menos confusa e mais redonda. CLOUD 7 é uma boa aposta para os melhores álbuns da j-music e realmente vale a pena ser ouvido.

c1dxpocveaax3rw01. prelude 78/100
02. SILK 73/100
03. Nokuchiruka no Yoru 90/100
04. Sakuya Mimei 85/100
05. shinigami 78/100
06. Lucifer 76/100
Anúncios

3 comentários em “ALBUM REVIEW: majiko – CLOUD 7

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s